Cooperação Técnica Brasil – Reunião em São Paulo sobre novas tecnologias de bilhetagem

Cooperação Técnica Brasil – Reunião em São Paulo sobre novas tecnologias de bilhetagem
  •  
  •  
  •  
Bruno Almeida Maximino
CODATU
Chargé de coopération Brésil (2017-2019)
CODATU News Friday 27 April 2018

Esta
atividade foi realizada no âmbito da cooperação técnica desenvolvida pela CODATU no Brasil. A
Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD) e o Governo do Estado de São Paulo assinaram, em abril de 2016, um acordo de cooperação técnica visando acompanhar a Secretaria dos Transportes Metropolitanos na implementação de diferentes projetos de mobilidade urbana e na melhoria dos sistemas de transporte público nas metrópoles paulistas. A CODATU e o CEREMA são os parceiros técnicos nesta cooperação.

Dando continuidade ao assunto iniciado no workshop de dezembro de 2017, sobre a política tarifária dos transportes na Região Metropolitana de São Paulo, a CODATU organizou uma reunião para apresentar o que há de mais recente em termos de bilhetagem na Europa. O responsável pela apresentação foi Julien de Labaca, diretor de projetos de transporte da Eurorégion Nouvelle Aquitaine Euskadi Navarre e membro da Fabrique des Mobilités. Aproximadamente 15 profissionais da CPTM, da EMTU, do METRÔ, da STM e da Systra estiveram presentes no encontro que aconteceu dia 2 de abril de 2018.

Julien propôs uma análise dos projetos europeus segundo três elementos: aspectos financeiros, ecológicos e sociais.

Foram apresentadas as vantagens e os inconvenientes da utilização da tecnologia NFC (Near Field Communication) no celular (por exemplo, em Strasbourg e Londres), e outros casos menos tecnológicos, em que a acessibilidade a diferentes modos de transporte, com um único cartão multimodal, com a opção do pós-pagamento é primordial (Região da Bretanha, na França e Província de Gizpukoa, na Espanha).

Outros exemplos ainda em experimentação ou recentemente implementados do conceito de MaaS (Mobility as a Service) em Mulhouse (França) e Helsinki (Finlândia) também foram citados. Por último, Julien comentou sobre as potencialidades e limitações do blockchain como solução nos transportes urbanos.

Na abertura para discussões, a CPTM e a EMTU comentaram suas experiências com a validação por meio de QR Code. A primeira realizou um projeto piloto em 2016/17 que apresentou bons resultados. No entanto, não existem plano de implementação efetiva por enquanto. Já a EMTU, não levou adiante o teste em um de seus terminais de ônibus pelo custo elevado de se ter três tecnologias de validação por catraca (QR code, Edmonson e smartcard).

Quanto ao sistema de “porta-moedas” ou pagamento com cartão bancário, o METRÔ e a EMTU explicaram que iniciativas, em parceria com diferentes bancos, foram avaliadas. Porém, grande parte dos usuários (mais de 50%) do sistema metropolitano de transportes não possui conta bancária e os que possuem não aceitam pagar a taxa de administração impostas pelas prestadoras do serviço. Estes foram alguns dos motivos do insucesso da iniciativa. Os atores locais acreditam que o suporte no celular poderia ter mais sucesso, já que aproximadamente 70% dos usuários possuem um smartphone.

Como conclusão, Julien destacou que, tecnologicamente, as opções são inúmeras e tecnicamente viáveis. O desafio maior se baseia na necessidade do decisor público conhecer claramente:

  • quais são os objetivos para com o usuário, para lhes propor a(s) tecnologia(s) mais adaptada(s);
  • quais os objetivos das autoridades de transporte.

Partenaires associés

Agence Française de Développement (AFD)

L’Agence Française de Développement (AFD) agit depuis soixante-dix ans pour lutter contre la pauvreté et  favoriser le développement dans les pays du Sud et dans l’Outre-mer. Au moyen de subventions, de prêts, de fonds de garantie ou de contrats de désendettement et de développement, elle finance des projets, des programmes et des études et accompagne ses partenaires du Sud dans le renforcement de leurs capacités.

Les transports constituent un secteur d’intervention traditionnel de l’AFD. Sur la période 2001-2005, l’Agence a mobilisé environ 164 M€ par an en moyenne pour la mise en œuvre de projets dans le secteur des transports (en incluant les projets de développement rural et urbain comportant des activités de transport).

La Fabrique des Mobilités

La
Fabrique des Mobilités est le premier accélérateur européen dédié au secteur du transport et des mobilités. La FabMob met en relation tous les acteurs, les projets, capitalise les retours d’expériences et les erreurs, pour faire émerger une culture commune a l’innovation dans l’action. L’ADEME, entité motrice dans la création de la Fabrique, a permis d’engager la démarche au sein d’un large écosystème d’acteurs. Le 1er appel a projet pour sélectionner et accompagner des projets en rupture a été lancé en Octobre 2015 et l’accompagnement des projets lauréats a d’ors et déjà commencé (Février 2016).

Secretaria dos Transportes Metropolitanos do Estado de São Paulo

Le
Secrétariat aux Transports Métropolitains de l’État de São Paulo (STM) est l’entité responsable de la planification et de la gestion des transports urbains ferrés et des bus inter-municipaux dans les régions métropolitaines de l’État de São Paulo.