Cooperação técnica Brasil – Ação temporária na Central do Brasil a serviço dos usuários

Cooperação técnica Brasil – Ação temporária na Central do Brasil a serviço dos usuários
  •  
  •  
  •  
Bruno Almeida Maximino
CODATU
Chargé de coopération Brésil (2017-2019)
CODATU News Tuesday 26 February 2019

Foto: Bruno Maximino

A Estação Central do Brasil, no Rio de Janeiro, é um dos principais pontos de entrada da cidade do Rio de Janeiro. Mais de 600 000 pessoas por dia passam por ela, seja utilizando suas instalações ou os diferentes modos de transporte. De fato, neste polo de transporte, estão trens metropolitanos, metrô, ônibus municipais e metropolitanos e VLT.

No entanto, infelizmente, os ambientes de acesso aos diferentes modos são desconexos, sem uma coerência global. Além disso, o entorno da estação é pouco organizado e até mesmo perigoso em determinadas horas do dia.

Desde 2017, a estação é objeto da cooperação técnica AFD-CODATU com o Estado do Rio de Janeiro. Os workshops realizados neste âmbito mostraram que alguma ação mais imediata poderia ser realizada buscando melhorar um pouco ambiente da estação e, ao mesmo tempo, preparar e facilitar a transformação da Central do Brasil numa estação de nova geração, reforçando seu papel de centralidade na metrópole.

Assim sendo, entre os dias 28 de janeiro e 26 de fevereiro, foi montado dentro da Estação Central do Brasil, um laboratório urbano com os seguintes objetivos:

  • Oferecer um espaço de descanso, com assentos, tomadas para recarregar celulares e conexão wifi gratuita;
  • Disponibilizar informações sobre a rede metropolitana de transporte público, sobre o entorno da estação e sobre a primeira fase do estudo para renovação da região da Central do Brasil;
  • Compreender as necessidades dos usuários e moradores do entorno e recolher sugestões de melhorias.

Fotos: Folguedo / LMF Fotografia

 A ação foi amplamente divulgada nas redes sociais com a hashtag #RenovaCentral.

Mais de 1000 formulários foram respondidos presencialmente com a equipe de atendentes e outros 1000 por meio das redes sociais ou para acesso à rede wifi. As informações colhidas serão utilizadas pelas instituições competentes como insumo no desenvolvimento do projeto de renovação da estação e do seu entorno.

No dia 14 de fevereiro, foi realizada uma ação lúdica com os passantes, contando com a presença de técnicos da SETRANS, da Câmara Metropolitana e da Prefeitura do Rio de Janeiro. Por meio de uma pesquisa origem-destino, em que os usuários traçavam seus itinerários até a estação Central do Brasil, o intuito foi sensibilizar os usuários quanto à rede de transportes metropolitanos, mostrar as opções de trajeto e de conexão modal e, também, ouvi-los sobre as sugestões de melhorias na rede.

Fotos: Bruno Maximino

Ao todo, estima-se que mais de 5000 pessoas aproveitaram do estande durante as quatro semanas de operação. O feedback dos usuários sobre a ação foi muito satisfatório. Os mesmos solicitam que o período da ação fosse estendido e que a ideia seja replicada em outras estações.

Partenaires associés

Governo do Estado do Rio de Janeiro

La
planification et la gestion des transports urbains de la Région Métropolitaine du Rio de Janeiro sont sous la responsabilité du Secrétariat d’État aux Transports (SETRANS), de l’Agence Régulatrice des Services Publics Concédés de Transport Maritime, Ferroviaire et Routier de l’Etat de Rio de Janeiro (AGETRANSP) et de la Chambre Métropolitaine, attachés au Gouvernement de l’État du Rio de Janeiro.

Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro

Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro

Agence Française de Développement (AFD)

L’Agence Française de Développement (AFD) agit depuis soixante-dix ans pour lutter contre la pauvreté et  favoriser le développement dans les pays du Sud et dans l’Outre-mer. Au moyen de subventions, de prêts, de fonds de garantie ou de contrats de désendettement et de développement, elle finance des projets, des programmes et des études et accompagne ses partenaires du Sud dans le renforcement de leurs capacités.

Les transports constituent un secteur d’intervention traditionnel de l’AFD. Sur la période 2001-2005, l’Agence a mobilisé environ 164 M€ par an en moyenne pour la mise en œuvre de projets dans le secteur des transports (en incluant les projets de développement rural et urbain comportant des activités de transport).